Publicidade

Política 26 de fevereiro de 2016

Marcelo Nilo oficializa entrada no PSL e leva mais cinco deputados e dois secretários

“A partir de hoje nasce um novo grupo político. Estou saindo do PDT por dois motivos. Porque o partido mudou o rumo político e porque sofri perseguição política intensa dentro do partido. Isso me fez optar por mudar de legenda e a escolhida foi o Partido Social Liberal – PSL”. Assim explicou o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Marcelo Nilo, ao anunciar oficialmente a decisão tomada sobre seu futuro político, durante entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira (24).

marcelo_nilo_26-2-16_2

Marcelo Nilo se desfiliou do Partido Democrático Trabalhista – PDT no dia 02 de outubro de 2015, depois de seis anos na legenda. Além dos jornalistas convidados, também estiveram presentes na coletiva, líderes e apoiadores políticos do presidente.

De acordo com Nilo, o PSL chega com força na Bahia com cinco deputados estaduais Nelson Leal, Jurandy Oliveira, Euclides Fernandes, Reinaldo Braga, Paulo Câmera e os secretários de Estado, Vitor Bonfim e Nestor Duarte. O líder do legislativo baiano assegurou que há outros parlamentares a caminho da filiação, além de alguns prefeitos que também devem se unir a legenda.  “Fomos muito bem recebidos no partido e agora seremos a terceira maior força na Assembleia. É um desafio para nós que estamos há tantos anos na Casa, mas continuarei com o meu ‘norte’ político, mantenho há 26 anos”, disparou.

O anúncio foi feito após a emenda constitucional, que abre “janela” para troca de partidos sem a perda de mandato, entrar em vigor. De acordo com a emenda, que passou a valer na última quinta-feira (18) em uma sessão Conjunta do Congresso Nacional, os detentores de mandatos eletivos podem deixar as respectivas legendas pelas quais foram eleitos nos 30 dias seguintes à promulgação.

marcelo_nilo_26-2-16Questionado sobre as eleições de 2018, Nilo esclareceu que a força política do partido só poderá ser medida a partir de janeiro de 2017, quando muitos prefeitos poderão aderir, logo após as eleições municipais. “Só então poderemos pensar em construir as condições políticas para pleitear uma vaga na chapa majoritária”, garantiu.

Os jornalistas também questionaram o presidente sobre a opinião do governador Rui Costa sobre sua decisão. “Ele acompanhou toda a minha movimentação. Nós seremos aliados políticos dele, mas não liderados do PT”, assegurou. Nilo disse ainda, que qualquer aliado político dele que permanecer no PDT, não terá o seu apoio e nem sua liderança política. “Eu permaneci muito tempo no partido, mesmo depois de muita insatisfação, porque o diretório nacional tinha um compromisso comigo. Compromisso esse que não foi cumprido”, lamentou.

Marcelo Nilo anunciou que será o presidente da sigla na Bahia, já que o atual presidente, Antônio Olívio, ofereceu-lhe o posto e passará a ser secretário geral do partido. A filiação de Nilo e dos demais deputados está confirmada para o próximo dia 3 de março a partir das 11h, em local a ser definido e contará com a presença do presidente nacional do PSL, Luciano Caldas Bivar e do senador Otto Alencar (PSD).

26/2/16

 

 

 

 

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on RedditShare on LinkedInEmail this to someoneShare on Tumblr